segunda-feira , 17 de outubro de 2016

Conheça as vacinas que são obrigatórias no 1º ano de vida do seu bebê

Créditos: Viva Saúde

Créditos: Viva Saúde

 

Os bebês passam 9 meses protegidos dentro do útero materno, longe de qualquer micro-organismo nocivo, e por isso, nos primeiros meses de vida ainda são muito frágeis e suscetíveis a doenças – principalmente bacterianas e virais. Como todos nós, os bebês possuem anticorpos, mas no início da vida, estes ainda estão começando a se desenvolver e não são suficientes para proteger o recém-nascido, sendo extremamente necessário um empurrãozinho. É por isso que é tão importante tomar vacinas.

Pode ser doloroso para os pais ver seu filho tão pequeno sofrendo com as agulhadas, mas acredite: é um mau necessário. Por isso, informe-se adequadamente sobre as vacinas obrigatórias no primeiro ano de vida do bebê. Esse conjunto de vacinas é conhecido como Plano Nacional de Vacinação e todas as suas doses integrantes são gratuitas nos postos de saúde.

1 mês

BCG (dose única)

É a vacina que protege contra as formas graves de tuberculose, doença ainda muito comum em nosso país. É produzida com uma forma atenuada do bacilo (bactéria) causador da doença. Essa vacina não costuma provocar reações imediatas, mas depois de 2 a 3 semanas pode haver uma reação local, com o aparecimento de um nódulo que evolui para uma cicatriz. É aplicada em dose única, no braço direito, logo após o nascimento.

Hepatite B (primeira dose)

É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Ela é produzida de uma “parte” do vírus que causa a doença. É muito segura e eficaz. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.

2 meses

Hepatite B (segunda dose)

É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Ela é produzida de uma “parte” do vírus que causa a doença. É muito segura e eficaz. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.

DTP (difteria, tétano e coqueluche, primeira dose)

Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. A tríplice comum (contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços

Hib (Haemophilus influenzae, primeira dose)

Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). A vacina é composta de partes dessa bactéria e deve ser aplicada por via intramuscular. Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (primeira dose)

Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com o vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com o vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (primeira dose)

É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Pneumocócica conjugada (primeira dose)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

3 meses

Meningocócica C (primeira dose)

Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.

4 meses

DTP (difteria, tétano e coqueluche, segunda dose)

Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. A tríplice comum (que contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com a forma acelular (que contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, segunda dose)

Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). A vacina é composta de partes dessa bactéria e deve ser aplicada por via intramuscular. Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (segunda dose)

Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (segunda dose)

É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Pneumocócica conjugada (segunda dose)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 7 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

5 meses

Meningocócica C (segunda dose)

Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.

6 meses

Hepatite B (3ª dose)

É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Ela é produzida de uma “parte” do vírus que causa a doença. É muito segura e eficaz. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.

DTP (difteria, tétano e coqueluche, terceira dose)

Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. A tríplice comum (que contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com a forma acelular (que contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, terceira dose)

Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). A vacina é composta de partes dessa bactéria e deve ser aplicada por via intramuscular. Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (terceira dose)

Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (terceira dose)

É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Influenza (primeira dose)

Protege contra alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser aplicada em 2 doses com intervalo de 1 mês entre elas, a partir dos 6 meses, e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

1 ano

Meningocócica C – dose de reforço

Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.

SCR (sarampo, caxumba e rubéola) – primeira dose

Protege contra estas 3 infecções virais: o sarampo (doença exantemática que pode levar a complicações como pneumonias), a caxumba (inflamação da glândula parótida) e a rubéola (doença exantemática grave em mulheres grávidas). É produzida com vírus vivos atenuados. A imunização deve ser feita em duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre 4 e 6 anos de idade.

Varicela – primeira dose

Protege contra as formas graves de varicela, uma infecção viral que leva à formação de vesículas pelo corpo, com febre e queda do estado geral. É produzida com o vírus atenuado. A primeira dose é aplicada com 1 ano de idade e pode ser feito um reforço na fase pré-escolar.

Hepatite A – primeira dose

É a vacina que protege contra a hepatite A, uma infecção viral que causa inflamação aguda e grave do fígado. É produzida a partir do próprio vírus na sua forma inativa. Deve ser administrada em duas doses, com intervalo de 6 meses.

Não deixe pra depois!

Todas estas vacinas protegem seu filho não só na infância, mas na vida toda. O desenvolvimento adequado dos anti-corpos é fundamental para uma vida saudável.

No Portal TeleListas.net, você encontra clínicas de vacinação, médicos pediatras e tudo que você precisa para cuidar do seu filho com todo amor do mundo. Dá uma olhadinha lá!

Matérias Relacionadas

Os comentários estão desativados.

© TeleListas 2016.