quarta-feira , 26 de janeiro de 2011

Conheça o novo documento de identidade – RIC

Este ano, cerca de 2 milhões de brasileiros poderão contar com a nova identidade. Lançada oficialmente no último dia 30 de dezembro, pelo então presidente Lula, o RIC (Registro de Identidade Civil) vai substituir gradualmente as atuais cédulas de identidade, ao longo dos próximos 10 anos.
O novo documento possui mecanismos de segurança que se encarregarão de evitar as fraudes e de unificar as informações pessoais dos cidadãos, inclusive com um número de registro único reconhecido nacionalmente.

O cartão é feito de policarbonato, com alta resistência e durabilidade. Por isso, a validade do documento passa para 20 anos, a partir da data da expedição; além de ser preparado para o processo de gravação a laser, que dificulta a alteração dos dados impressos. Ele traz ainda uma outra novidade: um chip.
Nele serão armazenados a impressão digital e os dados pessoais: nome, sexo, data de nascimento, filiação, naturalidade, assinatura digital, órgão emissor, data de expedição e validade, números de outros documentos (CPF e Título de eleitor), além de informações como altura, cor dos olhos e, se o portador desejar, alergias, tipo sanguíneo ou desejo de ser doador de órgãos.

O novo documento ainda não está disponível para solicitação. Somente os brasileiros selecionados pelo Ministério da Justiça que foram avisados via carta sobre a possibilidade de troca do RG pelo RIC poderão fazer a substituição.

Inicialmente, apenas cidadãos de sete cidades serão convocados: Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Ilha de Itamaracá (PE), Hidrolândia (GO), Nísia Floresta (RN) e Rio Sono (TO).

Esse ano, a emissão do RIC será custeada pelo Ministério da Justiça, não cabendo ao cidadão qualquer pagamento pela troca. Segundo o Ministério, o investimento no primeiro ano será de cerca de R$ 90 milhões. Para os próximos anos, o comitê gestor do RIC ainda não definiu a origem, nem o valor necessário para custear as emissões; sendo possível, inclusive, a formação de parcerias público-privadas e até financiamentos internacionais, dentre outras alternativas.

Ah! E não se preocupe, pois a implementação da nova identidade não compromete a validade dos demais documentos de identificação. Até a realização da substituição do documento por todos os brasileiros, as antigas identificações poderão ser usadas normalmente.


[Fonte: Bom Dia BrasilJornal ExtraTerra]

Matérias Relacionadas

Os comentários estão desativados.

© TeleListas 2019.